Apesar de ter sido vista como uma plataforma experimental quando foi apresentada ao mercado como serviços comercial, a Cloud Computing (Computação em Nuvem) vem conquistando um espaço cada vez maior nas organizações. Atualmente, suas soluções são consideradas parte crucial da Tecnologia da Informação (TI), afirma o Gartner.

Em post sobre uma breve história da Cloud Computing mencionamos que o modelo da entrega de serviços de TI começou a ser formatado no início da década de 60. Entretanto, as ofertas comerciais chegaram mesmo ao mercado em meados do ano 2000.

A primeira oferta de IaaS (Infraestrutura como Serviço) lançada por um provedor de Cloud Pública em larga escala nos Estados Unidos foi anunciada em 2006. No início, a Nuvem era vista com desconfiança pelas empresas que tinham muito receio de transferir aplicações de seu Data Center interno para um ambiente compartilhado. No Brasil, esses serviços começaram a ser mais disseminados no final do ano 2000.

“Dez anos após o início do uso dessa tecnologia, as empresas devem pensar em ampliar cada vez mais seus investimentos em Cloud”, recomendam analistas do Gartner.

Primeira década da Cloud Computing

Ao avaliar a primeira década de operação comercial da Cloud Computing, analistas da consultoria destacam que a Computação em Nuvem gerou uma disruptura no ambiente de TI. Ao olhar para a segunda década, eles avaliam que essa tecnologia está amadurecendo e se tornando cada vez mais presente nos processos de transformação.

Nos últimos dez anos, a Nuvem mudou as expectativas e competências do departamento de TI, que agora é um catalisador necessário para o desenvolvimento em toda a empresa. Na medida em que a tecnologia se desenvolve, as objeções à Cloud Computing diminuem, embora mitos e termos tecnológicos confusos ainda persistam.

“Ao entrar em sua segunda década, a Computação em Nuvem se torna cada vez mais uma ferramenta para as empresas digitais da próxima geração e para soluções mais ágeis, escaláveis e flexíveis”, explica David Mitchell Smith, vice-presidente do Gartner.

Smith recomenda que os Chief Information Officers (CIOs) e outros líderes de TI adaptem suas estratégias continuamente para aproveitar todos os recursos que a Nuvem pode oferecer. Para ele, não é tarde para começar a planejar um futuro completamente baseado em Nuvem.

O que esperar para a próxima década

Pesquisa do Gartner prevê que até 2020, qualquer estratégia para novas iniciativas de TI que não seja baseada apenas em Cloud demandará justificativa em mais de 30% das grandes organizações.

Pelas projeções da consultoria, até 2021, mais da metade das organizações globais estarão utilizando alguma solução em Nuvem.

Durante a década passada, a Computação em Nuvem amadureceu em vários aspectos. Atualmente, segundo o Gartner, a maioria das análises de segurança indica que a Cloud Computing pode ser até mais confiável que a TI tradicional.

Outro dado importante é que a inovação está mudando rapidamente para Cloud. Muitos vendedores estão adotando uma abordagem focada em Nuvem para design de produtos com alguns avanços, inovações tecnológicas e de negócios. São soluções disponíveis apenas na modalidade de serviço. Um exemplo são as novidades em Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial.

É preciso lembrar que nem todos os projetos podem utilizar serviços em Nuvem por questões regulamentares de segurança ou até pelo valor investido nas iniciativas. Algumas empresas também não contam com o talento ou com as habilidades necessárias para essa implementação.

Gostou do artigo? Comente e visite nosso site: https://www.hostec.site/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Por favor insira um endereço de email válido.

Menu